domingo, setembro 14, 2008

O perigo dos óculos escuros sem procedência

O perigo dos óculos escuros sem procedência

Nesta época de Verão e grande luminosidade, o risco de cair em tentação e comprar óculos de sol de vendedores ambulantes é muito grande. Aparentemente “iguaizinhos” aos modelos originais, os óculos “genéricos” são bem mais baratos, mas escondem o grande mal que podem causar à visão.
A maioria das pessoas, dizem os especialistas, desconhece os riscos que os raios solares representam à saúde dos olhos, sendo que o mais preocupante é a falta de critérios na utilização de óculos escuros. Um outro fator que chama a atenção é quanto às modas passageiras de se usar óculos com lentes coloridas, encontrados tanto em grandes shopping centers quanto nas bancas de camelôs. Muitos compram cada um de uma cor, para combinar com a roupa.
Mas antes do uso, os médicos recomendam que é importante ao comprador comprovar se esses óculos oferecerem 100% de proteção contra os raios ultravioleta (UV), já que a saúde dos olhos estará garantida independentemente da cor das lentes. Qualquer nível de proteção abaixo disso de nada vai adiantar, garantem os médicos. Além de queimaduras de retina e córnea, a longo prazo a pessoa poderá sofrer de catarata ou outra doença degenerativa da visão.


Cuidados ao comprar

Na Oftalmologia se usa um instrumento físico para se conhecer alguns dados. Como exemplo, uma lente para ser transparente necessita de uma curvatura que é obedecida quando adquirida em óticas designadas para este comércio. Ela também conta com filtros e cores corretas, o que dificilmente é encontrado em uma banca de camelô”, alertou Benetti. As cores adequadas, de acordo com as normas da Oftalmologia, são a âmbar e o verde prateado (cor G15), desenvolvidas pelos americanos na época em que não existia radar para os pilotos de avião usarem entre as nuvens. Estas cores não somam a demais. O azul continua azul, o branco, branco e assim por diante. A finalidade do óculo de sol é de além do embelezamento e da estética, filtrar os raios ultravioleta, infravermelho e todas outras irradiações que possam existir, ao mesmo tempo permitindo que a pessoa possa continuar enxergando as mesmas coisas com as mesmas cores. Obedecendo estas normas, estamos fazendo um benefício para a saúde. Como os preços em bancas são bem menores aos das lojas, para ele é preciso pensar se esta diferença não está justamente no fato de que quem vende bem mais barato, burla o fisco ou se o produto não é mesmo de péssima qualidade.
Usando estes produtos sem procedência, a pessoa passa a ter clinicamente uma riqueza sintomatológica, podendo vir a sofrer de dores de cabeça, desconforto e aberrações óticas pelo fato de a lente não ter curvatura correta (como exemplo, ao olhar para o chão ele parecer deformado). Outra recomendação é para que as pessoas periodicamente, desde os primeiros dias de vida, façam avaliação clínica da visão, agindo desta forma preventivamente contra possíveis males.


Consequências

Normalmente, os óculos escuros diminuem a luminosidade, o que faz com que as pupilas fiquem mais dilatadas, permitindo uma passagem maior de raios ultravioleta. Os óculos que não protegem oferecem um risco maior de lesão da retina do usuário.
Quando as lentes não são adequadas, aumentam de forma significativa as chances de doenças oculares, principalmente na região central do olho, responsável pela visão dos detalhes.
O que mais preocupa hoje é a degeneração macular da idade. A radiação é concentrada na parte central da retina, chamada mácula. A degeneração macular da idade é o cansaço, a fadiga das células da mácula. Quando isso ocorre, a pessoa tem dificuldade de leitura, em reconhecer fisionomias, distinguir cores ou detalhes do que está enxergando. É uma das principais causas de cegueira entre pessoas com mais de 65 anos, sendo que os tratamentos para este problema são caros e nem tão eficientes.


Fontes: Diário De Penapoli / O Globo

Um comentário:

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.