domingo, agosto 31, 2008

CQC: humor inteligente e irreverente

CQC: humor inteligente e irreverente

O "CQC" (custe o que custar) é o programa de humor mais irreverente da TV brasileira na atualidade.
São oito homens vestidos de terno preto, usando inseparáveis óculos escuros. A principal marca do time é a irreverência.
O programa faz um resumo semanal das notícias, e nessa varredura dos fatos cotidianos importantes, sob o olhar atento do CQC, ninguém escapa.

No estúdio, quartel-general do CQC, Marcelo Tas, Rafinha Bastos e Marco Luque assumem a bancada, e além de conduzir o programa ao vivo, têm a missão de comentar livremente os principais assuntos da semana. As reportagens contam com Danilo Gentili, Felipe Andreoli, Rafael Cortez e Oscar Filho. Na noite da última segunda-feira (25/08), o público pôde conhecer o misterioso oitavo integrante. Trata-se do ator Warley Santana, de 31 anos.
O programa apresenta um humor elegante, inteligente, audacioso e muitas vezes ácido mesmo nos momentos mais fortes, com um quê de Michael Moore (cineasta americano), atacando claramente os políticos e prestando serviços. Essa é a diferença. Não é apenas "zoação".
A diretora da Band credita o sucesso da atração aos novos talentos em quem apostou e, sobretudo, na produção e redação do programa.


Os Homens de Preto do CQC


- Marcelo Tristão Athayde de Souza

Mais conhecido pelo pseudônimo de Marcelo Tas, é diretor, apresentador, escritor e roteirista de televisão. Já participou de diversos programas de televisão.
Ficou nacionalmente conhecido pelo seu personagem humorístico Ernesto Varela, um repórter fictício que ironizava personalidades políticas da época da abertura, apresentando-lhes perguntas desconcertantes. Ficou célebre e entrou para a história com a sua pergunta direta a Paulo Maluf que, surpreso, virou as costas e deixou a sala em que estavam: "Muitas pessoas não gostam do senhor, dizem que o senhor é corrupto. É verdade isso, deputado?".
Também ficou famosa a briga que teve com o então dirigente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e deputado Nabi Abi Chedid, nos bastidores da Copa do Mundo de 1986.
O personagem é considerado o "pai" do Repórter Vesgo (Rodrigo Scarpa), personagem do programa Pânico na TV que também faz sucesso ao abordar celebridades e anônimos em festas e eventos com perguntas politicamente incorretas (mas sem o mesmo viés político de Varela).
Também foram marcantes suas participações nos programas Video Show na Rede Globo, Vitrine na TV Cultura, e Saca-Rolha ao lado de Lobão e Mariana Weickert na Rede 21 e postriormente na Play TV bem como sua atuação como diretor e roteirista de programas premiados internacionalmente, como o Rá-Tim-Bum (onde interpretava o estereotipado Professor Tibúrcio) e o Castelo Rá-Tim-Bum (Telekid, que respondia sempre o "porque sim não é resposta"). Escreveu ainda o roteiro para o Programa Legal e coordenou a criação de 1.140 edições do Telecurso 2000.
É graduado em engenharia civil pela Escola Politécnica da USP, em 1982. Iniciou o curso de graduação em rádio e TV pela Escola de Comunicação e Artes da USP em 1980, mas não o concluiu. Tem curso de Aperfeiçoamento Profissional em Cinema e Televisão e em Multimídia e Novas Tecnologias pelo Fullbright Scholarship Program na Tish School of Arts da Universidade de Nova Iorque, realizados entre 1987 e 1988.


- Rafael Bastos

Rafinha Bastos é comediante e jornalista.
Formado em Jornalismo, Rafinha começou sua carreira na televisão. Durante o curso na PUC-RS, ele trabalhou em emissoras como Rede Manchete, TVE e RBS (Globo-RS)
Após a conclusão do curso, ele viajou para os Estados Unidos com planos de investir em uma outra carreira: a de jogador de basquete (esporte que praticou profissionalmente até os 25 anos).
Em 1999, Rafinha vai competir na Liga Universitária Norte-Americana (NCAA) pela Universidade do Nebraska.
Já no primeiro semestre do curso, ele retoma os estudos teatrais. É lá que ele tem o seu primeiro contato com a Stand-up Comedy, o chamado "humor de cara-limpa".
Fora do Brasil resolveu criar uma página na Internet para estabalecer comunicação com seus amigos brasileiros. O site cresceu e acabou sendo incorporado pelo portal Globo.com, estando lado-a-lado de outras conhecidas páginas de humor como CassetaePlaneta.com.br e Charges.com.br.
Ele já satirizou artistas como Kelly Key, Sandy e Junior, Britney Spears e até grupos clássicos dos anos 70/80 como Village People e ABBA. As produções tem edição, direção interpretação de Rafinha.
Em 2002, Rafinha se muda para São Paulo onde passa a apresentar programas na Internet e na TV aberta para o público jovem.
Em 2004, Rafinha Bastos entra no mercado publicitário, onde participou de campanhas para Club Social, Volkswagen, Vivo, Nova Schin e outras marcas.
A entrada neste novo mercado marca também a sua estréia nos palcos. Em 2004 ele entra em cartaz, ao lado de Marcelo Mansfield e Marcela Leal, com o show de stand-up comedy "Mondo Canne". Em 2005, juntamente com Márcio Ribeiro e Henrique Pantarotto, estréia o Clube da Comédia Stand Up, show de humor de São Paulo.
Em 2007, Rafinha Bastos passou a apresentar um programa de conteúdo erótico chamado Privê 89, ao lado da radialista Dani Taranha, na rádio 89 FM de São Paulo. O programa é transmitido toda segunda-feira, à meia-noite na 89. Rafinha Bastos foi susbtituido por André Vasco , ex-VJ da MTV Brasil.


- Marco Luque

É humorista e ator. Atualmente, faz parte do elenco da Terça Insana, com apresentações do tipo stand-up, já atuou em outros espetáculos, tais como: Quarteto em Rir Maior, Tudo Pela Fama, Quando as Máquinas Param, O Auto da Barca do Inferno, Sextas de Comédia, Humor aos Pedaços e Inês. É um dos apresentadores do programa Custe o Que Custar da Rede Bandeirantes, ao lado de Marcelo Tas e Rafinha Bastos. Participou do grupo Comédia ao Cubo, já dublou filmes, já foi locutor, atuou em diversas campanhas publicitárias e é mestre de cerimônias. Já foi jogador de futebol profissional e fez uma participação especial em Álbum de Casamento, exibido no Fantástico e no seriado Carga Pesada, da Rede Globo.


- Danilo Gentili Júnior

Danilo Gentili é publicitário, humorista, escritor, cartunista e repórter. Faz parte da nova geração de humor, a da stand-up comedy, tendo recebido críticas positivas tanto da imprensa como do público.
Formou-se em 2003, no curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda da UniABC. Em 2006, fundou o Comédia ao Vivo, show de humor de sua própria criação e que se encontra em plena ascensão na noite paulistana. Nesse mesmo ano, passou a integrar um dos principais espetáculos de comédia da atualidade, o Clube da Comédia Stand-up. Além disso, transita por grandes festivais e eventos como o Comédia Em Pé, no Rio de Janeiro e o Risorama, mostra oficial de humor do Festival de Teatro de Curitiba, o maior acontecimento público da comédia nacional.
Danilo é ainda caricaturista e chargista. Após algumas incursões na televisão, principalmente em entrevistas e em vinhetas da MTV, foi convidado para participar do programa CQC, do qual tornou-se rapidamente destaque.


- Luiz Felipe Guimarães Andreoli

Felipe Andreoli é repórter e comediante.
Jornalista formado na FIAM, atua na área desde os 19 anos; desde pequeno acompanhava o pai, Luiz Andreoli, trabalhando nas grandes redes como Globo, Record e Bandeirantes. Começou na TV Record aos 19 anos; desde então já atuava em frente as câmeras num bate papo de jovens na programação evangélica do canal. Depois teve uma passagem pela TV Gospel, fazendo reportagens esportivas e trabalhando ao lado do pai. Após esse periodo transferiu-se para a TV Cultura, onde ficou por quase cinco anos, um deles trabalhando na produção. Fez matéria de todas as editorias, desde cotidiano até cultura, mas sempre com forte ligação com esporte. Ainda na Cultura trabalhou como repórter e chegou a apresentar o noticiário do meio-dia no canal. A transferencia para a Band aconteceu em 2007 para integrar a nova equipe esportiva. Após um ano passou a integrar a equipe do programa CQC.


- Rafael Cortez

Ator, músico e jornalista. Como ator, estudou com Roberto Vignati, Roberto Lage, Renato Borghi, Alexandre Padilha, Celso Frateschi, Silvia Leblon e Clerouak. Atuou nos seguintes espetáculos teatrais: Made in Brazil, com direção de Pedro Granato (2002); A Casa de Bernarda Alba, com direção de Melissa Vettore, (2003); Contando Clássicos - Espetáculo de improvisação, com a direção de Maximiliana Reis (2005); Lendas e Loas - com Alejandra Pinel (2006); Os Saltimbancos - direção da Cia. Quatro na Trilha (2004/ 2005/ 2006/ 2007) e O Mágico de Óz - direção de Linaldo Telles - (2006/ 2007).
Na TV, além de diversos filmes publicitários, participou (entre os anos de 1998 e 2003) de produções independentes veiculadas nas redes CNT, Gazeta e Rede Mulher de Televisão. Está no 12º episódio da série especial de Chico Buarque - produção da R.W.R e Rede Bandeirantes, exibida em 2006 e comercializada para todo o Brasil.
No cinema, protagonizou, em 2001, o curta-metragem "X", de Pedro Granato e o curta "Torta", de Ricardo Vargas, a ser lançado em 2008.
Acaba de gravar a obra completa de Machado de Assis em áudio-livro pela Editora Livro Falante. Atuou também em dezenas de outros eventos institucionais.
É violonista erudito, com um CD independente (Solo, de 2005) lançado. Compositor de peças para violão solo e músicas populares. Apresentou uma grande quantidade de concertos clássicos e estudou com professores como Ledice Fernandes, Edelton Gloeden, Henrique Pinto e Badi Assad.
É jornalista formado pela PUC-SP. Trabalhou em diversas assessorias de imprensa, na revista da faculdade Uni-Nove e foi colaborador de Veja-SP. Esteve por quase 5 anos na Abril Digital, onde desenvolveu diversos conteúdos jornalísticos para celular. Ganhador do 32º Prêmio Abril de Jornalismo em 2007 na categoria Conteúdo para Celular. Foi, também, produtor de teatro e televisão por 10 anos seguidos.
Hoje, é repórter do CQC.


- Oscar Filho

Oscar Filho se formou como ator em 2003 pelo INDAC (Instituto de Artes e Ciências) e um ano depois foi indicado como MELHOR ATOR no prêmio Coca-Cola Femsa de Teatro com o espetáculo A Matéria dos Sonhos de Fábio Torres.
Esteve em montagens como As Bruxas de Salem – Arthur Miller, A Importância de Ser Fiel – Oscar Wilde, Toda Nudez Será Castigada e A Serpente – Nelson Rodrigues, Roberto Zucco – Bernard Marie Koltez, Good Morning São Paulo e Cristóvão Colombo – Deto Montenegro, entre outros.
Em 2005 ajudou a fundar o Clube da Comédia Stand-up que está em cartaz até hoje em dois lugares diferentes em São Paulo.
Participou de diversos shows de humor pelo país como o Terça Insana e Nunca se Sábado em São Paulo, RISORAMA – Festival de Humor de Curitiba e Comédia em Pé no Rio de Janeiro. Em 2006 gravou um CD com suas histórias cômicas junto com o Clube da Comédia.
Na TV já divulgou seu trabalho no Programa da Hebe, no Multishow, na Nickelodeon e fez diversas campanhas publicitárias como IBI, Caixa Econômica, Cerveja Imperial e vinhetas para a MTV.
Atualmente é repórter do programa CQC e é integrante do trio de humoristas do projeto Circuito Bavaria Premium Stand-up Comedy.


- Warley Santana

Especializado em cinema e teatro, ele já atuou em três filmes longa-metragem e em 40 curtas e, atualmente, está em cartaz com a peça "De Corpo Presente", que tem texto e direção de Mara Carvalho.
Enquanto fala com políticos e celebridades, Warley dá dicas aos entrevistados de como se portar diante das câmeras e que falar para a imprensa. Ele sugere a um candidato para aparecer, durante uma reportagem, falando ao telefone para parecer que trabalha muito e induz celebridades a falarem certas frases porque soam melhor e têm mais efeito.
Warley desempenha papel oposto ao "repórter inexperiente", interpretado por Danilo Gentili, e aparece no quadro "Assessor de Imagem" como um competente assessor que tem formação em Nova Yok e utiliza as técnicas de Call Fisher, suposto marketeiro do candidato à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama.


Programa CQC

Emissora: Band

Datas e horários:
Segundas-feiras (a patir das 22:15) / sábados (a patir das 23:45)


Fontes: Band / Wikipédia / Oscar Filho (My Space)


Obs.: O programa CQC veio em hora certa, nestes tempos em que nós telespectadores sofremos com uma verdadeira crise humorística nacional. Os Homens de Preto mostram que ainda é possível fazer humor inteligentemente, livre de baixarias e apelações, e sem desrespeitar artistas e celebridades, que merecem toda nossa admiração e respeito.


Ricardo M. Freire

Um comentário:

JOÃO PAULO disse...

muito bom o blog varios conteudos legais,eu tbm montei um sobre a trupe do cqc mas nao esta tao como o seu ainda.