sexta-feira, agosto 08, 2008

Parabéns Caetano Veloso!

Parabéns Caetano Veloso!

Caetano Veloso comemorou seus 66 anos neste último dia 7 de agosto.
Caetano iniciou a carreira interpretando canções de bossa nova. Recebendo a influência de João Gilberto, um dos ícones e fundadores do movimento, em seguida ajudou a criar um estilo musical que ficou conhecido como MPB (música popular brasileira), deslocando o melodia pop na direção de um ativismo político e de conscientização social. O nome ficou então associado ao movimento hippie do final dos anos 60 e às canções do movimento da Tropicália. Trabalhou como crítico cinematográfico no jornal Diário de Notícias, dirigido pelo diretor e conterrâneo Glauber Rocha. A obra adquiriu um contorno pesadamente engajado e intelectualista e o artista firmava-se sendo respeitado e ouvido pela mídia e pela crítica especializada.
Seu primeiro trabalho musical foi uma trilha sonora para a peça teatral Boca de ouro, do escritor Nelson Rodrigues, do qual Bethânia participou em 1963, e também escreveu a trilha da peça A exceção e a regra, do dramaturgo alemão Bertolt Brecht, dirigido por Álvaro Guimarães, na mesma época em que ingressou na Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia.
Seu primeiro LP gravado, em parceria com Gal Costa, foi Domingo (1967), produzido por Dori Caymmi.
Caetano Veloso é um incansável inventor de arte que nossa imaginação jamais poderia perceber, buscando o intangível e o inatingível, retirando sons, gestos e palavras do mais árido território, capaz de traduzir o concreto, a dor, um jeito, uma paisagem ou pessoa na mais variada e sutil percepção da existência.
Revolucionário em sua poesia nos presenteia com fraseados sonoros que movem nossa alma fazendo-nos vibrar - e consegue mostrar a importância não somente de estarmos vivos como também de que podemos/devemos fazer pela vida.
Caetano nos toca sutilmente com a arte de parâmetros próprios, renovando a linguagem artística, musicando poesias concretas, poetizando sons de timbres desconexos e criando a estética musical.
O que mais impressiona neste "baiano-estrangeiro" de Santo Amaro da Purificação (como bem disse Augusto de Campos), é sua capacidade de mostrar as possibilidades da música provocando verdadeiros curtos-circuitos sociais.
Caetano é a "mais completa tradução" da transformação, de tempo e espaço.


Discografia

- Domingo (1967)
- Caetano Veloso (1968)
- Caetano Veloso (1969)
- Barra 69 - Caetano e Gil ao Vivo (1969)
- Caetano Veloso (1971)
- Transa (1972)
- Caetano e Chico Juntos e Ao Vivo (1972)
- Araçá Azul (1972)
- Temporada de Verão ao Vivo na Bahia (1974)
- Jóia (1975)
- Qualquer Coisa (1975)
- Doces Bárbaros (1976)
- Bicho 1977 (1977)
- Muitos Carnavais (1977)
- Muito - Dentro da Estrela Azulada (1978)
- Maria Bethânia e Caetano Veloso ao Vivo (1978)
- Cinema Transcendental (1979)
- Outras Palavras (1981)
- Brasil (1981)
- Cores, Nomes (1982)
- Uns (1983)
- Velô (1984)
- Totalmente Demais (1986)
- Caetano Veloso (1986)
- Caetano Veloso (1987)
- Estrangeiro (1989)
- Circuladô (1991)
- Circuladô ao Vivo (1992)
- Tropicália 2 (1993)
- Fina Estampa (1994)
- Fina Estampa ao Vivo (1994)
- Tieta do Agreste (1996)
- Livro (1997)
- Prenda Minha (1999)
- Omaggio a Federico e Giulieta ao Vivo (1999)
- Noites do Norte (2000)
- Noites do Norte ao Vivo (2001)
- Eu Não Peço Desculpa (2002)
- Todo Caetano (caixa com 40 CDs) (2002)
- A Foreign Sound (2004)
- Onqotô (2005)
- Cê (2006)
- Cê ao vivo (2007)


Fontes: Wikipédia / MPB Net

Um comentário:

Sérgio Ricardo de Freitas disse...

Polêmica envolvendo Caetano Veloso.
Confira na notícia.